Uma questão de ponto de vista

Já parou para pensar como perdemos a dimensão das coisas em algumas ocasiões?

Por Arlan Dantas
Categoria: Reflexões

Todos nós, crentes, sabemos que o nosso Deus tem como aspecto a onipotência, Ele é Todo-Poderoso (Jó 42:2), ou seja, Ele pode TODAS as coisas. Uma prova disso é quando estamos diante de uma situação extrema. Quando estamos com um parente sofrendo com uma doença grave, por exemplo, a primeira reação que temos é lembrar dos grandes feitos de Deus, confiar neles e passar tal confiança para os que estão ao nosso redor.

Uma observação interessante que podemos fazer é que essa é a nossa reação ao nos deparar com situações extremas, mas quando nos deparamos com situações mais simples, como alguma complicação financeira, nos desesperamos, ficamos ansiosos, e queremos resolver pelas nossas próprias forças. No capítulo 6 do evangelho de Mateus, Jesus nos fala sobre essa nossa preocupação.

No versículo 25 ele diz: "[...] não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir [...]", se referindo a bens materiais, assim como são as nossas finanças, "Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes?", a partir daqui, Jesus nos leva a observar os nossos problemas de outro ponto de vista, comparando o problema que estamos enfrentando e a ansiedade que estamos depositando sobre ele com outras coisas que nos mostra o quanto Deus tem cuidado de nós.

Primeiro Ele faz essa pergunta que já nos faz parar para pensar: "Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais que as vestes?" (v. 25), Deus tem nos dado vida e saúde, e, mesmo assim, a gente se preocupa com o que há de comer ou com o que  há de vestir, coisas que são secundárias em nossa vida.

No versículo 26, Ele aponta a natureza ao nosso redor para que possamos perceber isso também: "Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?" As aves não ficam dentro do seu ninho de boca aberta apenas esperando que Deus as sustente, mas também elas não saem mundo afora procurando comida para que possam ajuntar em celeiros, é isso que Jesus nos mostra. Nós, muitas vezes, queremos fazer o máximo que podemos para que possamos "ter uma vida melhor no futuro", ao pensarmos assim, somos confrontados com outra pergunta de Cristo: "Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?" Do que adianta toda essa nossa ansiedade e toda essa preocupação se sabemos que quem tem cuidado de nós e quem define como será o amanhã é Deus?

Assim como fez referencia ao vestir e às aves no v. 26, nos vv. 28-29 Jesus faz referência entre os Lírios e as nossas vestes "E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles." Assim como os pássaros, os lírios do campo dependem apenas de Deus e, mesmo assim, têm "vestes" mais belas que as de Salomão, que era utilizado como referência de riqueza na época de Jesus. E essa linha de pensamento é continuada no v. 30: "Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?".

"Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?" (v. 31). Como falei anteriormente, a atitude de procurar resolver as coisas às suas próprias forças é uma indicação da falta de fé: "Porque os gentios é que procuram todas estas coisas" (v. 32), essa ansiedade é um indicativo de que você não tem crido realmente de que Deus, assim como te sustentou até aqui, pode sim te sustentar no futuro, no amanhã.

A resolução para toda essa problemática é apresentada por Jesus no v. 34: "buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas." Se a razão da nossa existência é agradar e glorificar a Deus e se Ele tem cuidado de nós, por que nos preocupamos tanto com estas coisas terrenas? Se realmente cremos que essa é a nossa razão de existir e que Ele cuida de nós, devemos colocar como real prioridade na nossa vida o nosso relacionamento com Ele e estas coisas que nos cercam aqui, serão providenciadas.

Quando colocamos Deus como prioridade, percebemos que as coisas deste mundo são apenas detalhes e que serão providenciadas de forma natural, não nos preocuparemos nem ficaremos ansiosos pois elas não serão mais a nossa prioridade.

Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.

Mateus 6:34

Referências

Mateus 6:25-34, na tradução Almeida Revista e Atualizada, 1988 ©.

Fale conosco. Hospedado pela Brasil Hospeda.