O Valor da Escritura

A escritura é proveitosa para várias coisas, incluindo a doutrina, reprovação, correção e educação na justiça.

Texto de R.C. Sproul.
Traduzido por Kellvyn Mendes.
Categoria: Devocionais

O valor da Escritura na vida do crente está na sua origem e função. Em sua exortação a Timóteo, Paulo recomendou a Escritura a Timóteo, dizendo: "Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça" (2 Tm. 3:16).

Quando eu era um menino, havia um sujeito na nossa comunidade que era dois anos mais velho que eu, e ele era uma espécie de valentão. Ele tirava sarro de mim e me dava apelidos que feria meus sentimentos. Às vezes chegava em casa chorando para minha mãe e dizia a ela o que o outro garoto tinha dito para me chatear. A minha mãe tinha uma resposta favorita para isso. Enquanto ela enxugava as lágrimas, ela disse: "Quando as pessoas falam assim sobre você, filho, preste atenção na fonte."

Este pequeno sábio conselho da minha mãe foi um princípio que aprendi em um grau muito mais intenso no mundo acadêmico. Uma das regras acadêmicas é rastrear em sua pesquisa as fontes da informação, você tem que ter certeza de que essas fontes são confiáveis. Os acadêmicos têm que "ter cuidado para não aceitar qualquer coisa como valiosa, porque a credibilidade está diretamente ligada à fonte." Eles devem analisar, examinar, e usar o aparato crítico à sua disposição para rastrear as fontes reais.

Paulo assegurou a Timóteo aqui que a fonte da Escritura é Deus. Que a Escritura é "inspirada" não se refere à maneira como Deus supervisionou a escrita da Bíblia, mas se refere à fonte do conteúdo da Bíblia. A palavra que é traduzida como "inspirada" é o termo grego theopneust, literalmente, "soprada por Deus." Quando Paulo escreveu que a Escritura é soprada por Deus, a ideia não era de inspiração, mas de expiração; isto é, a Bíblia foi dada por Deus. A questão toda é que a Bíblia vem de Deus. É a Sua Palavra e carrega com ela a Sua autoridade. Paulo queria que Timóteo compreendesse a origem da Bíblia, não a maneira que ela foi inspirada.

Depois de afirmar que a Bíblia é inspirada por Deus, Paul anuncia seu propósito e valor. A escritura, ele disse, é proveitosa para várias coisas, incluindo a doutrina, reprovação, correção e educação na justiça.

O valor da Bíblia encontra-se, antes de mais nada, no fato de que ele ensina a sã doutrina. Apesar de vivermos em uma época em que a sã doutrina é denegrida, a Bíblia coloca um alto valor nela. Grande parte do Novo Testamento está preocupada com a doutrina. O ministério de ensino é dado à igreja para a construção de seu povo. Paulo disse: "E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo" (Ef. 4:11-12).

A Bíblia também é proveitosa para repreensão e correção, o que nós, como cristãos precisamos continuamente. Está na moda em alguns círculos acadêmicos exercer a crítica acadêmica na Bíblia. Ao fazê-lo, os acadêmicos colocam-se acima da Bíblia e procuram corrigi-la. Se de fato a Bíblia é a Palavra de Deus, nada poderia ser mais arrogante. É Deus que nos corrige; nós não O corrigimos. Nós não estamos sobre Deus, mas sob Ele.

Isso produz uma ajuda prática para o estudo da Bíblia: leia a Bíblia com uma caneta vermelha na mão. Sugiro que você coloque um ponto de interrogação na margem ao lado de cada passagem que você achar pouco clara ou difícil de entender. Da mesma forma, coloque um X ao lado de cada passagem que te ofende ou faz te sentir desconfortável. Depois, você pode se concentrar nas áreas que você tem dificuldade, especialmente os textos marcados com um X. Isto pode ser um guia para a santidade, como o Xs nos mostram rapidamente onde o nosso pensamento está fora de sintonia com a mente de Cristo. Se eu não gosto de algo que li na Bíblia, talvez eu simplesmente não esteja entendendo. Se assim for, estudá-la novamente pode ajudar. Se, de fato, eu entendo a passagem e ainda não gostar dela, isso não é uma indicação de que há algo de errado com a Bíblia. É uma indicação de que algo está errado comigo, algo que precisa mudar. Muitas vezes, antes que possamos consertar algo, precisamos primeiro descobrir o que estamos fazendo de errado.

Quando experimentamos a "mudança da mente", que é o arrependimento, não somos, de uma hora para outra, limpos de todo o pensamento errado. A renovação da nossa mente é um processo ao longo da vida. Podemos acelerar esse processo, focando nas passagens da Escritura que não gostamos. Isto é parte da "educação na justiça" de que Paulo fala.

Finalmente, Paulo explicou o propósito primordial para o estudo das escrituras. Ele vem na cláusula final, onde o apóstolo escreveu: "... que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra." Era como se Paulo estava advertindo a Timóteo que se ele negligenciasse o estudo da Palavra de Deus, a sua vida seria incompleta. Ele estaria perdendo esse vasto recurso, este tesouro da verdade que é a Palavra de Deus. E o mesmo é verdade para nós.

Este trecho é tirado de 5 Things Every Christian Needs to Grow por R.C. Sproul. Para saber mais sobre livro faça o download gratuito do livreto de R.C. Sproul Questões Cruciais, Posso Confiar na Bíblia?

Referências

© 2017 Ligonier Ministries

The article originally appeared here at Ligonier Ministries

Fale conosco. Hospedado pela Brasil Hospeda.