Você Não Pode Servir a Deus e ao Entretenimento

Texto de Phillip Holmes.
Traduzido por Kellvyn Mendes.
Categoria: Reflexões

Você ama entretenimento. Transmissão via streaming, televisão ao vivo, sites de compartilhamento de vídeo e redes sociais estão todas a um dedo de distância. Sua capacidade de ter acesso ao entretenimento invadiu rapidamente e sem esforço cada aspecto de sua vida. Uma pesquisa revelou recentemente que você é tentado a verificar o Facebook a cada trinta e um segundos.

Seus amigos estão lhe deixando enfadado com uma conversa entediante? Pegue o seu iPhone. A sua esposa está lhe perturbando? Ligue sua televisão. Seu professor é desinteressante? Entre no Facebook. O entretenimento é o seu meio de escapar das inconveniências da vida para um confortável mundo de fantasia. E seus meios de escape fizeram de você um escravo.

 

 

Pra ser honesto, eu tive um amor desenfreado por entretenimentos fúteis — ao longo dos anos eu o usei principalmente como um meio de fuga. O entretenimento era usado para me distrair da culpa do pecado, do atrito nos relacionamentos, ou da ansiedade do trabalho. Tornou-se o que a oração diária e leitura da Bíblia deveriam ser — um refúgio seguro para eu ir e encontrar descanso e conforto.

Eu falhei em reconhecer que a minha interminável busca por entretenimento tinha me transformado em um escravo. Meu amor por meu novo mestre foi sutilmente fazendo com que eu ficasse indiferente para com Deus e comecei a me omitir em meu dever de me satisfazer Nele.

 

 

Em Mateus 6:24, Jesus revela que quando nós somos atraídos em direção ao entretenimento como um meio de conforto, estamos nos movendo para cada vez mais longe de nosso Criador. A noção de dois mestres é, de fato, um conto fictício. É impossível ter mais de um mestre. Jesus expõe uma realidade esclarecedora: Amor para com um irá causar ódio para com o outro.

Se nós dedicamos uma quantidade de tempo excessiva, dinheiro e afeto a qualquer coisa, incluindo o entretenimento, vamos desprezar tudo o que nos afasta de tal coisa. Todos nós já fomos confrontados com a escolha entre passar o tempo orando ou lendo a palavra de Deus, ou passar o tempo com entretenimento. No cerne deste dilema, o dom totalmente satisfatório de Jesus é nada se comparado com as promessas temporais do entretenimento. Qualquer que seja o caminho escolhido, o ódio irá aumentar para com o caminho que foi negado.

Quando escolhemos o caminho largo para o entretenimento desmedido, nós semeamos desprezo a Cristo. De igual modo, quando nós escolhemos o caminho estreito que nos leva a Jesus, nós semeamos o ódio, não somente para com o entretenimento insensato, mas para todo o pecado que habita em nós. Esse caminho revela que o entretenimento contínuo é um mestre cruel que procura devorar nossa alegria verdadeira e nos desviar de Cristo, nossa fonte.

 

 

O entretenimento promete muito, mas cumpre pouco. Ele é incapaz de satisfazer o que nossos corações realmente almejam. Queremos descansar. Queremos conforto. Mas o entretenimento só pode oferecer uma satisfação temporária. Assim que acordamos de horas a fio no Netflix ou nos atualizamos através das redes sociais, os nossos problemas continuam, ainda esperando serem confrontados. E nós somos confrontados com a verdade que tudo o que fizemos foi adiar o inevitável.

Perseguir a alegria no entretenimento é como "perseguir o dragão." O termo é uma gíria, a qual refere-se à busca contínua de um prazer elevado obtido previamente no início do uso de drogas.

Por exemplo, um usuário de drogas experimenta heroína pela primeira vez e tem uma experiência incrível. Mas quando ele volta a usar droga, ele não consegue ter a mesma experiência. Em vez disso, a experiência fica mais fraca, assim o usuário toma uma dose maior e mais forte de heroína para chegar a mesma sensação. Enquanto ele "persegue o dragão" o corpo do usuário se deteriora por dentro e por fora. Esta deterioração geralmente se manifesta em coceira extrema , perda de peso indesejada, fala arrastada, doença renal ou hepática, e muito mais.

A dependência do entretenimento é similar. Os efeitos físicos e na saúde podem não ser tão impressionantes como na heroína, mas os efeitos espirituais são onerosos. Nós perseguimos o entretenimento insensato esperando por alívio para as nossas almas, mas em vez disso tudo o que o entretenimento pode realmente prometer é a morte. Somos distraídos do bem supremo e final com uma miragem de felicidade e conforto.

 

Jesus é o Bom Mestre

Em Mateus 11:28-30, Jesus convida todos os que trabalham e estão sobrecarregados para vir a ele, prometendo proporcionar descanso para as nossas almas cansadas. Esta promessa não está vazia. No evangelho, ele cumpre sua promessa, tomando a nossa carga na cruz para nosso descanso e alegria nele.

Eu nunca saí desapontado quando eu busquei a minha alegria em Deus através da oração e leitura da Bíblia, me lembrei de suas promessas no evangelho, me arrependi do meu pecado, e clamei a Deus por conforto. Todos os meus problemas foram resolvidos? Não. Mas a minha alegria foi restaurada, e minha alma se banqueteou com suas promessas. Da mesma forma, cada vez que eu usei o entretenimento como uma forma de alívio para a minha alma, eu fui deixado sem ser completo e insatisfeito.

Mesmo assim, quando eu me encontro naquele dilema entre a comunhão com Cristo e o entretenimento fútil, eu fico tentado a dizer sim para entretenimento e não a Deus.

À medida que caminhamos pela vida, vamos ser tentados a continuar usando o entretenimento de maneira descuidada e ignorar nossa escravidão. Alguns vão continuar a viver como escravos, passando horas a fio no entretenimento e negligenciando o alimento espiritual. Mas você não tem que viver na escravidão.

O evangelho fornece o poder de dizer sim a Deus e não ao entretenimento sem fim. Aqui nós descobrimos a beleza do nosso maravilhoso mestre e percebemos que Jesus é melhor. Em comunhão com ele, nós experimentamos a alegria que o entretenimento só pode prometer, mas nunca fornece.

A próxima vez que você encontrar-se nesta familiar encruzilhada, se apegue a Jesus. Lembre-se que só ele é o seu bem maior. Ele morreu e ressuscitou para que possamos experimentar a comunhão com ele, o que proporciona a suprema alegria que uma fuga para o entretenimento simplesmente não pode ser comparada.
 

Referências

Por Phillip Holmes. By John Piper. ©2015 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org. Original: http://www.desiringgod.org/articles/you-cant-serve-god-and-entertainment

Tradução: Kellvyn Mendes

Phillip Holmes é um escritor pessoal e estrategista de conteúdo no desiringGod.org. Ele vive em Minneapolis com sua esposa Jasmine

Fale conosco. Hospedado pela Brasil Hospeda.