4 Razões pelas quais Deus Ordena Sofrimento ao Seu Povo

Quatro razões bíblicas específicas do porquê Deus ordena sofrimentos ao seu povo.

Texto de Brian Cosby .
Traduzido por Kellvyn Mendes.
Categoria: Reflexões

Nossa cultura, infelizmente, luta para negar a realidade do sofrimento e da morte, e nós continuamente ansiamos por beber da fonte da juventude—expressa em nossa busca sem fim por tratamentos Botox, creme anti-idade, cirurgias cosméticas, e tinturas de cabelo. Fingimos que funerais são “celebrações” e acreditamos na vazia promessa de que todas as pessoas acabam no céu (exceto Hitler e Stalin talvez). Não conseguimos suportar a dura realidade do sofrimento, então nos escondemos por trás das paredes virtuais das mídias sociais, onde fingimos que nossos corações estão seguros da rejeição, luto, e do mal “lá fora”. Mesmo você e eu sabendo que existe, é real, e é doloroso.

Talvez você esteja no caminho da aflição, ou talvez você esteja tentando pregar o evangelho para alguém que esteja. Uma das grandes tragédias da igreja americana é que perdemos uma teologia bíblica sobre o sofrimento—uma que esteja centrada na glória, bondade, e soberania de Deus. Perdemos um entendimento da realidade do sofrimento como uma consequência da queda e negligenciamos em ver como Deus utiliza o mal para seus propósitos grandiosos. Precisamos entender isso para que nossos pés possam pisar no sólido fundamento da Palavra de Deus—e lá encontrar entendimento e esperança. Todos os outros solos são areia movediça.

Se você confiou em Deus como o Senhor e Salvador da sua vida, você pode descansar na verdade de que suas aflições e sofrimentos vem a você para o seu bem e para a glória dele.

Mas vamos olhar quatro razões bíblicas específicas do porquê Deus ordena sofrimentos ao seu povo.

1- Matar o Pecado e Aumentar a Devoção

Deus usa o sofrimento para expor o pecado que reside tão próximo de nossos corações. Quando nós passamos por um momento de aflição, nosso orgulho, impaciência, e descrença vão geralmente vir à tona. A dor tem um jeito de abrir o coração, deixando-o a mostra. Quando eu enfrentei um sofrimento, eu respondi com raiva. Apesar do sofrimento em si não ser mau, ele ilumina o mal que reside dentro de mim. Algumas vezes ele revela minha falta de fé nas promessas de Deus. Eu começo a questionar a Deus: Como você pôde deixar isso acontecer?

Se temos alguma tendência a amar alguma coisa neste mundo—casa, esposa, filhos, trabalho—mais do que Deus, ele pode algumas vezes remover o ídolo. E isso irá doer. Ao fazer isso, entretanto, estaremos livres para voltar a colocar o nosso primeiro amor somente nele. O Rei Davi viu uma mulher tomando banho, a chamou, dormiu com ela, e então matou o marido dela. Quando o profeta Natã confrontou Davi sobre o seu pecado, ele respondeu com o Salmo 51. O sofrimento serve como um limpador, revelando e matando o nosso pecado atual, e nos detendo de pecados maiores.

Entretanto, Deus não somente nos ajuda a mortificar o nosso pecado; ele também cultiva devoção por meio da qual estamos gradualmente nos tornando à imagem de Cristo. Ele também usará sua igreja para incentivar seu povo e estar no contexto no qual o ferro afia o ferro (Pv. 27:17). Quando uma aflição cai sobre uma comunidade de crentes, eles tendem a ficar mais juntos.

2. Substituir o que é Temporal pelo Eterno

Deus também usa o sofrimento para nos separar do amor desse mundo e redirecionar os nossos pensamentos e sentimentos em direção daquilo que é eterno: “Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra” (Cl. 3:2). Jesus disse ao jovem rico para vender tudo o que ele tinha e dar aos pobres. Então, ele disse, você terá tesouros no céu. O jovem rico foi embora triste. Algumas vezes, Deus simplesmente irá remover esses tesouros pelo nosso bem maior; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno. (Mt. 5:29)

Como Cristãos, as aflições que nós experimentamos nessa vida deveriam nos apontar para a realidade que somos “peregrinos e forasteiros” (1 Pd. 2:11; Hb. 11:13) aqui na terra, caminhando em direção à cidade definitiva. Nossa cidadania é no céu (Fp. 3:20). Esse mundo não é o nosso lar, e as aflições que vivenciamos ao longo do caminho serve como flechas nos direcionando para largar o que é passageiro e entender o que é eterno.

Paulo declara que Deus “nos conforta em todas as nossas aflições,” e adiciona: “Porque, como as aflições de Cristo são abundantes em nós, assim também é abundante a nossa consolação por meio de Cristo.” (2 Cor. 1:3-5). Como o Senhor do verdadeiro conforto, devemos ver nossa dor “produzindo para nós um peso eterno de glória mui excelente” (2 Cor. 4:17)

3. Produzir uma Fé Livre de Hipocrisia

Deus também usa o sofrimento para nos refinar, como o fogo refina o ouro queimando as impurezas (Jr. 9:7; Zc. 13:9, Ml. 3:3). O sofrimento irá geralmente distinguir o verdadeiro crente do hipócrita pela resposta de cada um. Em nosso sofrimento, nos é dada a oportunidade de descobrir a sinceridade de nosso amor, esperança, e fé em Deus.

Existem áreas de desonestidade ou insinceridade em seu coração? Um mergulho em uma época de aflição pode revelar isso. Quando o sofrimento cai sobre uma igreja—através de uma doença ou perseguição—“os amigos de verão de Cristo” fogem, como o Puritano John Flavel coloca. A aflição faz com que o crente se agarre em Deus e o incrédulo o esqueça. Dessa forma, ela vem como uma forma de teste para separar as ovelhas dos bodes e refinar seu precioso povo através do fogo.

4. Testemunhar para o Mundo

Durante a aflição nos é dada uma oportunidade única de testemunhar sobre o poder do evangelho em nossas vidas—o que efetivamente chama outros para se arrepender e crer. A própria resistência do crente durante a provação serve como uma brilhante testemunha pública da verdade da Palavra de Deus.

Eu conheci crentes aos quais passaram por momentos de sofrimento tão bem que os que observavam perguntaram sobre a esperança e a paz inabalável que eles desfrutavam. Deus usa o sofrimento de seu povo para mostrar sua graça e segurar a salvação. Nossas frequentes provações provam que nossa esperança e fé não são em vão, e servem como uma plataforma para divulgar a esperança do evangelho.

Nosso Pai no céu ordena o sofrimento para nós porque ele nos ama (Hb. 12:6). Ele está nos separando do amor desse mundo, nos transformando pela renovação de nossas mentes (Rm. 12:2), e completará a boa obra que ele começou em nós (Fp. 1:6). Que venhamos a descansar na certeza de sua aliança que, mesmo durante o sofrimento e provação, ele nunca irá nos abandonar (Hb. 13:5).

Referências

Por: Brian Cosby. Copyright © 2016 The Gospel Coalition, Inc. ALL RIGHTS RESERVED. Original: http://www.thegospelcoalition.org/article/4-reasons-god-ordains-suffering-for-his-people

Nota do Editor: Esse texto é adaptado do novo livro de Brian Cosby, A Christian’s Pocket Guide to Suffering: How God Shapes Us Through Pain and Tragedy (Christian Focus, 2015). Para um análise mais profunda desses cinco pontos, veja o o livro de Cosby Suffering and Sovereignty: John Flavel and the Puritans on Afflictive Providence (Reformation Heritage, 2012).

Brian Cosby (PhD, Australian College of Theology) serve como pastor senior da Wayside Presbyterian Church (PCA) em Signal Mountain, Tennessee, e como professor visitante no Reformed Theological Seminary, Atlanta. Ele é o autor de uma série de livros, incluindo Uncensored: Daring to Embrace the Entire Bible (David C. Cook, 2015)

Fale conosco. Hospedado pela Brasil Hospeda.