Porque a Igreja é Vitalmente Importante Para a Vida de Cada Cristão

Como um galho que cresce através de sua conexão com a árvore, nós perseveramos quando estamos conectados à igreja.

Texto de Stephen J. Nichols.
Traduzido por Kellvyn Mendes.
Categoria: Devocionais

O que a Bíblia Tem a Dizer Sobre a Igreja?

Mencione a igreja para um grupo de Cristãos e você provavelmente receberá respostas variadas. Alguns talvez digam que, embora eles realmente amem Jesus, eles não amam a igreja. Outros talvez respondam, “É claro que amamos a igreja.”

Deus ordenou que a igreja, uma reunião de pessoas falhas, carregasse seu propósito e sua vontade no mundo. Quando consideramos o ensinamento bíblico da igreja, percebemos que a igreja é vitalmente importante para o crescimento em Cristo. Como um galho que cresce através de sua conexão com a árvore, nós perseveramos quando estamos conectados à igreja.

Para explorar esse assunto, é necessário que se considere o que a Bíblia diz sobre a igreja.

A Igreja na Bíblia: Adoração e Vida no Velho Testamento

Antes que possamos olhar o que o Novo Testamento (NT) ensina sobre a igreja, precisamos primeiro ver o que o Velho Testamento (VT) diz sobre vida e adoração.

Deus instruiu Moisés a construir um tabernáculo—uma tenda portátil que representava a presença de Deus habitando bem no meio do seu povo. O tabernáculo, e mais tarde o templo, foram os lugares onde Deus ordenou que os sacrifícios fossem realizados e que os festivais fossem celebrados. O tabernáculo e o templo funcionavam como o lugar central de instrução e ensinamentos sobre Deus e sua vontade para Israel. Do tabernáculo e do templo, Israel entoou de forma alta e alegre salmos de alegria e adoração a Deus.

As instruções para construir o tabernáculo requeriam que ele ficasse no centro do acampamento israelita. Mais tarde, Jerusalém, o local do templo, foi vista como representando o centro da terra de Israel. O tabernáculo e o templo não eram para ser vistos apenas como o centro geográfico de Israel; eles também deveriam ser o centro espiritual de Israel. Como os raios de uma roda que divergem do centro, o que acontecia nesses centros de adoração deveriam afetar todos os aspectos da vida dos israelitas.

A Igreja na Bíblia: Cristo e os Evangelhos

A igreja não existia oficialmente até o dia de Pentecostes, depois que Jesus morreu e ressuscitou. No entanto, mesmo nos Evangelhos aprendemos muitas coisas de Cristo sobre a igreja. Vamos ver três.

Primeiro, temos a declaração de Jesus, “edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt. 16:18). “Portas” representam o poder do inferno, o qual não é páreo para Jesus.

Segundo, Jesus entrega à igreja sua missão e o seu motivo de existência quando ele dá aos discípulos a Grande Comissão em Mateus 28:16-20. Como a igreja vai para o mundo, ela é chamada a fazer discípulos, carregando a tarefa de batizar os novos discípulos e ensiná-los tudo o que Cristo ordenou. Essas atividades devem caracterizar cada um dos trabalhos e a vida de uma igreja local.

A terceira coisa que aprendemos de Jesus sobre a Igreja vem da sua oração sacerdotal em João 17. No final da oração, Jesus fala ao Pai, “E eu lhes fiz conhecer o teu nome, e lho farei conhecer mais” (João 17:26).  O NT frequentemente se refere à igreja como o corpo de Cristo. Nós somos literalmente a presença de Cristo na terra. E a missão da igreja é exatamente a mesma missão de Cristo: proclamar o nome de Deus.

A igreja universal do corpo de Cristo é visível e manifesta em congregações locais, ou igrejas. Essas igrejas locais devem ser “encarnadas”. Elas devem representar Cristo, o qual foi encarnado (isso é, nascido como homem) e andou entre nós. O modelo de igreja encarnada significa que vivemos e nos comportamos com a ideia total de que representamos Cristo ao mundo e para uns aos outros.

A Igreja na Bíblia: O Livro de Atos

Atos conta a história da igreja, de sua origem no dia de Pentecostes em Atos 2, até o capítulo 28 com Paulo em Roma. Entre eles, a igreja passa por tragédias e triunfos, tristezas e alegrias. O livro de Atos conta a história da igreja primitiva, perseguida mas corajosa.

Duas coisas chamam atenção na vida da igreja primitiva. Uma se refere ao poder do Espírito Santo. No fim dos Evangelhos vemos apóstolos que estão assustados, ao ponto de se esconderem. Então nos primeiros capítulos de Atos esses mesmos apóstolos corajosamente viram o mundo de ponta cabeça.

A chave para entendermos o que aconteceu com eles é vista em Atos 1:8 (na profecia de Cristo), depois em Atos 2 (o cumprimento da profecia). Os apóstolos receberam o Santo Espírito, e com o Espírito eles receberam poder. Esse mesmo Espírito ainda mantém juntos crentes e nos traz para a família de Deus (Ef. 4:1-7).

O Espírito Santo graciosamente nos dá dons espirituais, de acordo com Romanos 12:3-8 e 1 Coríntios 12:4-11. Deus planejou que a igreja seja o local onde esses dons são descobertos, cultivados, e usados para fazer crescer o corpo de Cristo e trazê-lo à maturidade, principalmente para a glória de Deus (ver 1 Coríntios 14). O mesmo Espírito que operou de forma poderosa na igreja primitiva continua a trabalhar na e através da igreja hoje.

Segundo, o livro de Atos mostra como a igreja funciona e o que ela faz. Membros da igreja primitiva “perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações” (Atos 2:42). Todas essas atividades são essenciais para crescer em Cristo, e todas elas ocorrem dentro da igreja local.

A Igreja na Bíblia: As Epístolas

Tendo olhado de forma breve o tabernáculo e o templo no VT, e a igreja nos Evangelhos e Atos, agora chegamos às Epístolas do NT. Com algumas exceções, esses livros foram escritos para igrejas, certificando mais uma vez o papel da igreja ordenado por Deus. Nas Epístolas, especialmente as cartas de Paulo a Tito e a Timóteo, Paulo claramente não conseguia conceber a ideia de se viver a vida Cristã separada da Igreja.

Paulo e os outros escritores do NT frequentemente usam figuras de linguagem para descrever a igreja. Em um momento Paulo chama a igreja de Casa de Deus (1 Tm. 3:15). A igreja é uma família (Gl. 3:28; Hb. 13:1; 1 Pe. 1:22). A igreja é um edifício (Ef. 2:20-22; 1 Pe. 2:4-5). A igreja é colocada como um rebanho de ovelhas (1 Pe. 5:1-4). E uma das metáforas favoritas de Paulo é a da igreja como corpo de Cristo (1 Ef. 4:11-16; 1 Co. 12:12-27). Todas essas metáforas contribuem para um entendimento mais completo de como viver a vida Cristã como parte da igreja.

A igreja é até mesmo colocada como uma noiva (2 Co. 11:2-4; Ap. 19:7-9; 21:1-4). É a noiva de Cristo—uma noiva pela qual Jesus morreu. Ao encorajar os maridos a amar suas esposas, Paulo escreve que “Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela” (Ef. 5:25). O que mais poderia ser dito para ressaltar e estabelecer a importância da Igreja para a vida Cristã?

A Igreja como a Comunhão dos Santos

Desde o início, de quando Deus trata com seu povo, a Bíblia aponta para a comunidade. Na verdade, uma discussão bíblica de uma vida piedosa é quase sempre colocada no contexto do crescimento junto, em comunidade, como povo de Deus. Para Cristãos atualmente, e nos últimos 2000 anos, Deus estabeleceu a igreja local como o veículo para essa comunidade. Algumas correntes procuram substituir pensamentos mais tradicionais sobre a igreja local, ao ver um grupo de amigos se reunindo, por exemplo, como igreja. Essa não é exatamente a visão que vemos no NT.

No NT, vemos jovens e idosos misturados, enquanto que as mulheres e homens idosos devem ensinar aos mais novos. Vemos pessoas se reunindo para adorar, as quais vêm de diferentes momentos da vida, diferentes empregos, e diferentes contextos. Paulo afirma que as divisões sociais que acontecem na sociedade não têm efeito sobre igreja. A igreja deve ser um local de diversidade, onde cada pessoa possa contribuir com o todo. Limitar-se a um círculo de semelhantes não é previsto nas escrituras e não promove crescimento espiritual.

Infelizmente, em nossos dias existem igrejas nas quais líderes tentam dominar suas congregações, ao invés de as pastorear no modelo bíblico do amor desinteressado de Jesus. Mas esses maus exemplos não anulam o mandamento bíblico de nos reunir e adorar como uma igreja. Igrejas locais sem dúvida tem suas falhas, porque elas são compostas de pessoas falhas e pecadoras. O Credo Apostólico se refere à igreja como uma “comunhão dos santos”.

Ao entrarmos na igreja algumas vezes imaginamos que não haverá problemas, conflitos, e nenhuma frustração na nossa comunhão dos santos. Mas esquecemos que somos uma comunhão de pessoas falhas, que ainda sofrem o peso de nossas imperfeições e falhas e pecados. Na verdade, por causa de nossas falhas e faltas que nós precisamos uns dos outros.

Referências

Por: Stephen J. Nichols. © 2001 - 2016 CROSSWAY.

Texto Original: https://www.crossway.org/blog/2016/01/why-the-church-is-vitally-important-for-every-christian/ 

Stephen J. Nichols (Phd, Westminster Theological Seminary)  é o presidente do Reformation Bible College e o chefe do diretório acadêmico do Ligonier Ministries. Anteriormente, ele servia como professor pesquisador de Christianity and Culture no Lancaster Bible College. Ele é um editor (com Justin Taylor) da série Theologians on the Christian Life e é o autor de diversos livros, incluindo The Reformation, For Us and for Our Salvation, The Church History ABCs e Bonhoeffer on the Christian Life.

Fale conosco. Hospedado pela Brasil Hospeda.